Bolanchas

Vieira de Castro quer duplicar vendas na China e atingir 1 milhão de euros

China
China

A indústria alimentícia Vieira de Castro, situada na Vila Nova de Famalição em Portugal, anunciou hoje em Xangai, na China, que espera duplicar o número de suas vendas no mercado chinês para 1 milhão de euros no período de alto demanda.

A administradora Executiva da empresa, a Sra. Raquel Vieira de Castro apresentou a nova logo marca corporativa da empresa para alguns dos principais clientes distribuidores e disse: "As vendas atuais são de cerca de 500.000 mil euros. O objetivo é duplicar as vendas e atingir a maior marca em percentual de lucro durante o evento. "Atividade comercial que acontece no Pavilhão de Portugal na Expo Mundial 2010".

A responsável Raquel Vieira atual administradora executiva das industrias Vieiras, reconhece que este é um "grande salto econômico" para a fábrica Vieira de Castro, que tem como objetivo "estabelecer uma nova parceria na China e ampliar a visão dos negócios" que terá inicio ainda no primeiro mês deste ano, acreditando que isso dará à empresa uma "previsão" e permitirá que ela atinja a marca dos 50 milhões de biscoitos vendidos somente nos países asiáticos.

O presidente-executivo de Vieira de Castro é um dos patrocinadores do pavilhão português da maior exposição mundial, onde sempre é considerado que o ercado chinês é o mais complexo e atratividade do ramo alimentício. Com uma população de um pouco mais 1,4 bilhões de habitantes no país, mas frisou que a empresa portuguesa vai focar o seu posicionamento nos “consumidores com maior poder de compra das amêndoas. que são os consumidores finais nos pontos de vendas”.

Apesar de possuírem culturas diferentes, a união dos comércios industriais trará maior e melhor rentabilidade e mais empregos a população chinesa e portuguesa. "Na verdade, é isso que estudamos, entendemos e concluímos que é assim que funciona há anos, antes mesmo de tentar exportar para os produtos ao mercado chinês.” Resume a administradora executiva da Vieira Castro.

Ainda segundo a Sra. Raquel Vieira representante geral da empresa, "Agora, creio que estabelecemos parcerias com empresas adequados para o comercio alimentício. Percebemos o desenvolvimento do mercado e iremos atuar neste sentido de forma a estabelecer gradualmente a nossa presença em toda a China. o negócio." Vieira de Castro foi fundada em 1943, e até agora chama-se "Vieira", em Vieira de Famalicão (Vila Nova de Famalicão) Possui dois setores industriais, um produz bolachas e o outro produz produtos de confeitaria como balas e amêndoas.

A empresa tem 186 colaboradores, um volume de negócios de 27,3 milhões de euros em 2009 e operações em mais de 40 países dentre outras regiões, com destaque para Angola, Brasil, Cabo Verde, China, Chipre, Dinamarca, Estados Unidos da América, França, Irlanda, Israel e Japão. Raquel Vieira de Castro diretora executiva da empresa, explicou que foi lançado no mercado chinês os bolachas pela Vieira, acrescentando que as amêndoas “também começaram a entrar no mercado e têm uma boa aceitação dos seus consumidores.

O responsável destacou que um dos exemplos são as vendas do Pavilhão Nacional, o que prova também que dois novos produtos – bolachas e amêndoas cobertas com chocolate - únicos no comercio da china - são lançados em quantidades limitadas para a Expo Mundial 2010. “Desde o início da Word Expo, o Almonds tem uma grande capacidade de aceitação e esperamos que a indústria seja referencia no seguimento para o mercado externo e para os pontos de venda no mercado chinês”, acrescentou a responsável geral Raquel Vieira.